• Dra Angela Priuli

Qual aplicativo ou plataforma de Telemedicina devo usar?


Aproveita as oportunidades quem está preparado. Diante da pandemia do coronavírus o Conselho Federal de Medicina (CFM) reconheceu a prática e eticidade da Telemedicina, possibilitando que a população tenha acesso a orientação médica mesmo com a recomendação #fiqueemcasa, ou melhor dizendo, o distanciamento social. Essa ação gerou algumas controvérsias, mas nesse momento é uma solução útil e inegável. A pergunta a se fazer é: você está preparado(a) para essa prática?

Pois bem, primeiramente fizemos uma enquete em nosso instagram (perfil que tem muitos médicos como seguidores) perguntando se eram a favor da TeleMedicina e a resposta foi que 87% apoiavam a ideia. Excelente! mas sobram dúvidas e aqui trazemos quando e como usar a telemedicina:


Quando usar a telemedicina?


Alguns dados mostram a importância de apoiar o uso dessa alternativa para fazer, por exemplo, uma consulta de triagem, visto que 51% das pessoas buscam o Pronto Socorro ou um especialista como primeira opção quando precisam de atendimento médico (Ibope, 2017), porém 80% desses pacientes que vão até o pronto-socorro não precisariam ter ido até lá (Einstein, 2017) e essa é a hora de evitar aglomeração nos serviços de saúde, se for possível.


De acordo com o CFM, a telemedicina poderá ser exercida nos seguintes moldes: teleorientação, que permite que médicos realizem a distância a orientação e o encaminhamento de pacientes em isolamento; telemonitoramento, que possibilita que, sob supervisão ou orientação médicas, sejam monitorados a distância parâmetros de saúde e/ou doença; e teleinterconsulta, que permite a troca de informações e opiniões exclusivamente entre médicos, para auxílio diagnóstico ou terapêutico. Para esclarecer ainda mais e endossar, o Ministério da Saúde também publicou uma portaria, dizendo que ações de Telemedicina podem contemplar: atendimento pré-clínico, de suporte assistencial, de consulta, monitoramento e diagnóstico, por meio de tecnologia da informação e comunicação, no âmbito do SUS, bem como na saúde suplementar e privada.


Como praticar a telemedicina?


Segundo a portaria num. 467 do Ministério da Saúde e instruções de alguns CRM, é necessário que o médico obedeça determinadas recomendações para exercer essa prática:


  • Protocolo de atendimento para quem já era paciente:


  1. Verificar quais pacientes estão em tratamento, inclusive orientar os pacientes crônicos, em estado pós-operatório e que necessitam de acompanhamento constante quanto aos riscos decorrentes da ausência de atendimento;

  2. informá-los (via email, telefone, whatsapp, etc) que está praticando a Telemedicina e como funciona o atendimento online [temos o kit ComunYque Telemedicina aqui na Ybrida];

  3. Uma vez que haja interesse do paciente, solicitar que este preencha termo de consentimento livre e esclarecido (via plataforma escolhida pelo médico), no qual esteja esclarecido as limites do atendimento à distância, e informando que, em caso de urgência, o paciente deve procurar os serviços de saúde;

  4. se possível, gravar e arquivar a assistência prestada de forma segura;

  5. arquivar todo e qualquer dados e exames (se forem solicitados) ao prontuário do paciente;

  6. para entrega de receitas e atestados por meio eletrônico, é recomendado que seja usada a assinatura eletrônica (certificação digital | certificado A1 de Pessoa Física - ICP-Brasil) ou seja enviada em envelope lacrado via serviços de entrega que estejam em funcionamento na atual circunstância;

  7. ao final da consulta, se possível, pedir que o paciente envie uma mensagem dizendo que foi atendido via teleconsulta e compreendeu as orientações.


  • Protocolo de atendimento para um paciente novo:


  1. Realizar pré-triagem pela plataforma digital escolhida e verificar se é hipótese de atendimento à distância, o que pode ser feito a partir de um pequeno formulário de “auto anamnese” a ser encaminhado previamente ao paciente;

  2. Analisar as respostas e avaliar se é hipótese de atendimento;

  3. Informar ao paciente que, eventualmente, ele não poderá ser atendido remotamente;

  4. Se for necessária a realização de exames complementares, o paciente deve ser informado quanto às dificuldades de se obter diagnóstico, prognóstico e firmar a terapêutica, devendo o médico reforçar os limites do atendimento à distância, informando que, em caso de urgência, o paciente deve procurar os serviços de saúde.


Ainda foram repassadas recomendações sobre a remuneração das teleconsultas, que é um ponto muito importante a ser esclarecido entre médico/paciente. No caso de consultas particulares, a negociação é livre entre médico e paciente. Já para pacientes conveniados a regulamentação deve ser feita entre ANS e a operadora do plano de saúde.


Qual ferramenta de telemedicina devo usar?


A mais fácil? a mais completa? a mais moderna? a decisão será baseada na necessidade do profissional e do paciente, usando tecnologia da informação, desde que garanta integridade, segurança e sigilo das informações. É possível escolher as ferramentas de vídeo o skype, o zoom.us, google hangouts e pronto, mas existem algumas vantagens de outras ferramentas mais estruturadas, como o pagamento, o prontuário digital, etc, que falaremos a seguir.


Um mix de softwares que permitem a gestão de clínicas, agendamentos virtuais de consultas, sala virtual das teleconsultas, compartilhamento virtual de prontuários/exames, métodos de pagamento do tipo e-commerce, segurança cibernética e certificação digital, resultaram em inteligentes meios de comunicação e follow up de seus pacientes de onde estiver. Agora a tarefa do profissional da saúde é decidir qual canal, plataforma, aplicativo ele vai usar para exercer sua missão virtual.


Para facilitar sua vida, nós da Ybrida, que também temos como missão levar saúde às pessoas (por meio da comunicação de conteúdo de qualidade), elaboramos uma lista descritiva e comparativa de alguns apps (aqueles que precisam baixar no celular) e plataformas (funcionam como sites robustos com infraestrutura para as vídeo-chamadas em qualquer dispositivo com internet) disponíveis no mercado para você decidir qual funciona melhor. Confira:


> Doctoralia

Descrição: Plataforma e aplicativo integrados de perfil, agendamento online, teleconsultas

Agendamento online: Agenda exclusiva para atendimentos e orientações via Telemedicina

Remuneração: disponível

Link individual para jornada facilitada do paciente: disponível

Prontuário digital / envio de documentos digitais: disponível

Gravação da consulta: a consultar

Segurança: GPDR, HIPAA Compliance

Investimento: pago (Plano Premium inclui todos serviços da plataforma - R$359,00 mês)


> DoutorAoVivo

Descrição: plataforma SaaS (infra e TI próprios) de teleconsulta com possibilidade de integração ao software de gestão da clínica (ERP/CRM) e ao aplicativo da clínica (se houver)

Agendamento online: disponível

Remuneração: disponível

Link individual para jornada facilitada do paciente: disponível

Prontuário digital / envio de documentos digitais: disponível

Gravação da consulta: disponível

Segurança: certificados SSL e HIPAA Compliance

Investimento: a consultar


> DrMob

Descrição: Software de Gestão dos Pacientes (agendamento/prontuário), financeiro, compras, gerencial, com sistema de teleconsulta integrado

Agendamento online: Disponível

Remuneração: cartão crédito/boleto/sistema tipo ecommerce

Link individual para jornada facilitada do paciente: disponível

Prontuário digital / envio de documentos digitais: disponível

Gravação da consulta: a consultar

Segurança: disponibilidade de inserir assinatura digital e certificado ICP Brasil

Investimento: telemedicina inclusa em todos pacotes do software de gestão - a partir de R$149/mês


> Doc24

Descrição: plataforma e aplicativo de teleconsulta

Agendamento online: disponível

Remuneração: a consultar

Link individual para jornada facilitada do paciente: a consultar

Prontuário digital / envio de documentos digitais: disponível

Gravação da consulta: a consultar

Segurança: HIPAA Compliance e ISO 27002

Investimento: a consultar


> HomMed

Descrição: plataforma de teleconsulta integrada a prontuário e equipamentos médicos

Agendamento online: disponível

Remuneração: a consultar

Link individual para jornada facilitada do paciente: a consultar

Prontuário digital / envio de documentos digitais: disponível

Gravação da consulta: a consultar

Segurança: HIPAA Compliance

Investimento: a consultar


Nota: todos os dados descritivos sobre os aplicativos e plataformas foram extraídos dos sites de cada empresa, assim solicitamos às empresas que nos enviem mais informações, caso seja necessário, para que fique claro e completo para o consumidor.


Existem outros serviços, com um modelo diferente, mas também usando a Telemedicina, como por exemplo algumas plataformas onde os médicos se cadastram gratuitamente e disponibilizam seus espaços na agenda para atender a demanda de pacientes que buscam a teleconsulta. Para citar alguns, temos o Dr Consulta, DocLine, DocWay, Nosso Médico, etc. Também é uma opção interessante para que os médicos eliminem seu tempo ocioso, mas será assunto para uma próxima orientação. Aguardem!


Se você decidiu iniciar sua jornada na Telemedicina é preciso COMUNICAR seus pacientes e o público em geral, e para isso estamos preparados com o kit ComunYque Telemedicina da Ybrida Comunicação. Entre em contato já!

934 visualizações

(17) 99140.4616

(34) 98403.7001

contato@ybrida.com

 

Av. Antônio José Martins Filho, 300 | SL 36

Edifício Ônix Center Sul - Jd. Maracanã

São José do Rio Preto - SP

15092-230

© 2020 by YBRIDA Comunicação.